/* */

www3.fazenda.sp.gov.br

São Paulo é um dos estados mais importantes do Brasil. A população que a 50 milhões de habitantes e não para de crescer. Para suprir as necessidades de transporte para essa quantidade de gente, apenas o sistema público não consegue. Por isso, são mas de 18 milhões de carros circulando diariamente pela cidade. Em consequência disso, o IPVA no Estado de São Paulo é considerado um dos mais caros do país. No site www3.fazenda.sp.gov.br já constam as primeiras informações sobre o pagamento do imposto em 2017.

www3.fazenda.sp.gov.br

 

Confira a seguir a tabela divulgada para acompanhar o prazo de pagamento do IPVA 2017:

Final da Placa Parcela 1 Parcela 2 Parcela 3
 1  09/01 09/02 09/03
 2  10/01 10/02 10/03
 3  11/01  13/02  13/03
 4  12/01  14/02  14/03
 5  13/01  15/02 15/03
 6  16/01  16/02  16/03
 7  17/01  17/02  17/03
 8  18/01  20/02  20/03
 9  19/01  21/02  21/03
 0  20/01  22/02  22/02

No dia 09 de janeiro ocorre o primeiro vencimento para carros placa final 1, dia 10 para final 2, dia 11 para final 3, dia 12 para final 4, dia 13 para final 5, dia 16 para final 6, dia 17 para final 7, dia 18 para final 8, dia 19 para final 9 e dia 21 para final 0.

www3.fazenda.sp.gov.br

O mês de janeiro vai ser conturbado para os contribuintes paulistas, então, para conseguir arcar com todas essas despesas, o melhor a se fazer é organizar as finanças e não perder o prazo de pagamento. Principalmente para aqueles que optarem pelo parcelamento.

www3.fazenda.sp.gov.br

O vencimento das outras duas parcelas vencem em fevereiro e março, consecutivamente. Para quem demorar a organizar as finanças, ainda pode optar pela parcela única que volta a acontecer em fevereiro para pagamento à vista, mas nessa segunda oportunidade, sem o desconto de 3% que é oferecido para quitações que acontecem em janeiro.

No site oficial da SEFAZ SP www3.fazenda.sp.gov.br é possível encontrar as melhores formas de evitar o débito e todas essas consequências que ele pode acarretar para o contribuinte.



O contribuinte paulista que deixar de pagar sua guia, terá o imposto aumentado, a partir da data do vencimento, se não for feito o pagamento, ele estará sujeito a multa de 0,33% por dia de atraso e a juros de mora com base na taxa Selic. A partir de 60 dias de atraso, o percentual da multa fixa-se em 20% do valor do imposto.www3.fazenda.sp.gov.br

Caso o contribuinte continue permanecendo com a inadimplência do IPVA, o débito será inscrito e, como consequência, a multa passará a ser de 100% do valor do imposto, além de gerar outras séries de transtornos envolvendo a inclusão do nome do proprietário no Cadin Estadual. A partir daí, passa a ser impedindo de aproveitar eventual crédito que possua por solicitar a Nota Fiscal Paulista. A partir do momento em que o débito de IPVA estiver inscrito, a Procuradoria Geral do Estado poderá vir a cobrá-lo mediante protesto.

Após o prazo para licenciamento, conforme calendário do DETRAN, a inadimplência do IPVA impedirá de fazê-lo. Como consequência, o veículo poderá vir a ser apreendido, com multa aplicada pela autoridade de trânsito competente e outros sete pontos descontados diretamente na Carteira Nacional de Habilitação, a CNH, do condutor do veículo.

Acesse o Site Oficial SEFAZ SP

Para sabermos mais sobre o assunto, devemos nos atentar ao fato de que o pagamento do IPVA é obrigatório não apenas para os proprietários de automóveis, ônibus, caminhões e motocicletas, mas também para quem possui tratores, jet-skis, barcos, lanchas, aviões de esporte e lazer. Muitos não sabem que essa quantidade de veículos também precisam pagar IPVA.

Se tratando de um imposto estadual, a alíquota do IPVA não é a mesma em todo o país, o que deixa alguns contribuintes confusos em relação ao valor final que chega em seu endereço, pois a alíquota, por exemplo, pode variar de 1% a 5% do valor do veículo, segundo a entidade de defesa do consumidor – Proteste. Mesmo assim, há um percentual que é proposto pela plenário da Assembleia Legislativa de cada Estado, devendo ser sancionado ou não pelo governador eleito.www3.fazenda.sp.gov.br

São Paulo é um dos Estados onde a alíquota é a mais alta, quatro por cento sobre o valor venal (de mercado) para carros a gasolina. Bicombustíveis, enquanto movidos a álcool e gás, pagam 3%, utilitários 2% e caminhões 1,5%.

O IPVA em São Paulo pode ser pago nos bancos Real, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Citibank, Daycoval, HSBC, Itaú Unibanco, Mercantil do Brasil, Nossa Caixa, Panamericano, Rendimento, Safra, Santander, Schahin. O contribuinte também pode quitar o imposto em casas lotéricas e em agências do Banco Postal, espalhadas pelo estado.

Como entrar em contato pelo site www3.fazenda.sp.gov.brwww3.fazenda.sp.gov.br

Em São Paulo, frota total de veículos em circulação, é de aproximadamente 23,5 milhões, sendo que afrota de veículos tributáveis é de cerca de 17,5 milhões. Do total de 23,5 milhões, cerca de 5,7 milhões estão isentos por lei em função de terem mais de 20 anos de fabricação e cerca de 250 mil estão isentos ou imunes que são os veículos pertencentes a taxistas, deficientes físicos, partidos políticos, igrejas, entidades sem fins lucrativos, veículos oficiais, ônibus e micro-ônibus urbanos.

O seguro obrigatório DPVAT deve ser recolhido de forma integral junto com a primeira parcela do IPVA ou com a cota única. O parcelamento só é permitido para motos e similares, vans, ônibus e micro-ônibus, e as parcelas devem ser recolhidas de acordo com o calendário de vencimento do IPVA.

Para efetuar o pagamento do IPVA 2016, basta se dirigir a uma agência bancária credenciada, com o número do Renavam, sigla para Registro Nacional de Veículo Automotor, e fazer o recolhimento no guichê de caixa, nos terminais de autoatendimento, pela internet ou débito agendado ou outros canais oferecidos pela instituição bancária de sua preferência.

Quem não receber o comunicado deve acessar o site da Secretaria da Fazenda para verificar as informações sobre o pagamento. A Secretaria dispõe o telefone 0800-170110 e o site www3.fazenda.sp.gov.br para outras informações.

Os recursos do imposto devem ser investidos pelo governo estadual, obrigatoriamente, em obras de infraestrutura e melhoria na prestação de serviços públicos como os de saúde e educação para a população paulista. Dados preliminares do IPVA 2015 mostram que foram arrecadados R$ 13,4 bilhões até outubro do ano de 2016. Deste total, descontadas as destinações constitucionais, o valor é repartido 50% para os municípios de registro dos veículos, que devem corresponder ao local de domicílio ou residência dos respectivos proprietários, e os outros 50% para o estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *